Carta aos Pais

Carta aos Pais

Caros pais,
 
 Confesso-vos que fomos apanhados desprevenidos. Preparámos os cenários A, B, C, D mas o cenário E estava fora da nossa perspetiva e da nossa lógica. Enfim, fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para manter a escola aberta, criámos um ambiente seguro e continuámos a sentir-nos seguros, felizes e confiantes enquanto a tempestade passava lá fora. Na totalidade tivemos 4 colaboradores infetados, 0 crianças e 0 casos de cadeias de transmissão detetadas.
 
Estávamos determinados a manter o nosso esforço mas infelizmente o comportamento de muitos portugueses e o surgir desta nova variante criou um cenário muito grave, muito impactante e vimos ontem repetir-se o fecho do portão da escola.
 
 Foi com alguma desilusão que vimos as crianças ir para casa, que percebemos que as brincadeiras, as gargalhadas e os jogos na escola ficaram novamente adiados.
Sabemos o enorme impacto que tem para os pais as crianças ficarem em casa com eles em teletrabalho ou trabalho presencial. Não é nada fácil nas idades destes pequenitos perceber a situação, vivê-la e ainda por cima perceber que os pais não estão para eles a 100% durante o dia.
 
 A situação tornou-se incontornável e o que temos agora a fazer é aceitar o desafio, poupar energia com discussões inúteis – o país está dividido, a união de março acabou – e estamos determinados a que o ambiente de união que se vive na Raiz assim se mantenha.
 
 Como pedagoga e psicóloga com 26 anos de experiência no terreno, olho para esta situação e reflito sobre qual o mal menor para cada um dos nossos pequenitos. Há várias dicas que vos gostava de dar para os acompanharem em casa e a seu tempo as enviarei, pois neste momento o que cada um de vocês quer saber é o que vos espera para estes 15 dias.
 
 Na Raiz, temos o hábito de dar escolha e sabemos que a escolha, dentro de determinados limites bem definidos, cria motivação e permite que cada um coloque um pouco de si na resposta a esse estímulo.
 
Ouvimos vários pais, o seu sentir e confirmámos as realidades tão diferentes que se vivem numa comunidade pequena como a nossa.
 
 Recomeçámos rotinas há 3 semanas, deixamos para trás um 2020 cheio de inconsistências, de altos e baixos e de incertezas. As crianças aceitam alterações, são resilientes, capazes de adaptação mas para tudo há limites e considero que uma paragem repentina das suas aprendizagens pode provocar danos no processo de ensino-aprendizagem. Sei que o ensino à distancia não é igual ao presencial, mesmo com toda a entrega e criatividade que nos caracteriza, mas sei também que férias ao fim de 3 semanas de aulas me parece uma medida muito arriscada.
 
A proposta surpreendente do Ministro da Educação passa pelo inédito, retirar todas as férias que as crianças teriam desde agora até ao final do ano, ou seja, retira as férias de carnaval, as poucas que existiam na páscoa e sem qualquer paragem assim continuam e terminam uma semana mais tarde!!! Não podemos obrigar os nossos a tal situação quando temos outras soluções!
 
 Sei que há pais que pelo seu perfil, pelo trabalho que desenvolvem, ou pelas circunstâncias da sua vida ainda assim preferem esta interrupção letiva (proposta para estes 15 dias) e vêem grande vantagem em não ter tantos compromissos, principalmente com crianças que pelas suas idades ou características não são tão autónomas.
 
O tempo passado em online fez-nos perceber a importância que tivemos em tantas casas, o quanto fomos importantes no dia-a-dia dos pais e dos filhos e como conseguimos reduzir a distância entre colegas e professores e criar excelentes momentos de aprendizagem.
 
 Decidimos assim que os pais terão a possibilidade de escolher se querem que os seus filhos participem nos tempos online de caracter facultativo.  Se não quiserem, as crianças podem ainda assim participar em tempos lúdicos e de educação física ou psicomotricidade. Durante estes 15 dias, não serão lecionados novos conteúdos e aproveitaremos estes 15 dias para fazer consolidação da matéria com todos os que quiserem fazer connosco esta caminhada.
 
No 1º e 2º ciclo, não vai ser possível participarem uns dias e outros não, conforme a criança queira, isto porque iremos fazer uma caminhada integral de consolidação. Os que preferirem seguir a proposta de parar agora, não ficarão sem consolidar os conteúdos. Esses alunos, nos momentos designados pelo ministério (férias de carnaval, páscoa e semana extra do final de ano) realizarão a sua consolidação presencial com o entusiasmo e envolvimento que nos caracterizam.
Consideramos essencial que as crianças façam pausas nas suas aprendizagens e assim o faremos no carnaval e na páscoa seguindo o nosso calendário escolar tal como nos outros anos. Iremos cumprir o número de dias de aulas obrigatórios, pois como se recordam começámos o ano letivo mais cedo e temos folga no final do ano se tal for necessário, não se devendo os pais preocupar com este assunto.
 
 Quando necessário voltaremos a reavaliar a situação, nessa altura todos os pais poderão voltar a fazer as suas opções.
 
 Caros pais, este é um tempo de unir forças, de aceitar a diferença, de perceber que as opiniões diferentes não nos devem dividir mas unir por um bem maior.
 
 Peço-vos que reflitam sobre esta proposta e vejam o que faz mais sentido para o vosso caso específico.
Receberão dentro em breve um email de turma com as indicações ao qual peço que todos respondam assinalando o que escolheram para os vossos filhos. Neste email terão os horários propostos de modo a que possam tomar a vossa decisão na posse de todos os dados.
 
 Estamos a receber várias cartas dos pais, que muito agradecemos, com palavras muito calorosas e carinhosas num momento onde todos nós as precisamos de ouvir. Agradecemos a cada um de vós este contributo e o modo como o fizeram.
 
É com enorme determinação que cumpriremos o proposto pelo Ministro da Educação garantindo que quando as crianças e as famílias precisam de nós aqui estamos de corpo e alma para lhes dar todo o apoio emocional e formativo o que faz parte integrante da nossa missão! Faça chuva, faça sol, haja covid, espaço presencial, online ou o que mais vier aqui estaremos a manter a estabilidade das aprendizagens.
 
Os pais fizeram a opção por um ensino diferente, por um ensino de qualidade e cá estamos a prestar esse serviço.
 
Estamos juntos agora por online e preparados para ultrapassar mais esta fase.
 
 
 Um abraço amigo 
 
  Margarida Silveira Rodrigues
 Diretora